Dialogar para mudar

Sou um promotor do diálogo e precisamos urgentemente construir uma cultura para isso. Temos que o fazer por todos os meios possíveis, para que o tecido da sociedade seja reconstruído. Essa é a arma da paz tão sonhada.

Infelizmente nos tornamos inimigos uns dos outros, não nos comunicamos e fazemos isso de um modo odioso. O ato do diálogo não existe mais em nosso país. Vivemos equivocadamente perdidos dentro de distorções alimentadas por choque de opiniões. Assumimos rivalidades destruidoras por pura vaidade, exemplo: evangélicos x umbandistas, esquerda x direita e por aí vai.

A sociedade quer mudanças, quer um outro país e não aceita mais o atraso de uma nação afundada na corrupção, na baixa produtividade, na pobreza, na violência. A sociedade brasileira não suporta mais um judiciário bipolar, Estado sem eficiência, privatizado política e sindicalmente, com um sistema educacional desigual, o descrédito dos políticos.

O Brasil tem que ser reformulado. Precisamos eleger um novo país e não apenas mais um presidente. Por não votar pelo Brasil, candidatos e eleitores preferem ilusões do faz de conta do que a realidade e fazer as contas. Não podemos aceitar mais o que a velha e ultrapassada política quer.

Temos que expor as nossas vontades e ser participativos, buscar quem quer dialogar conosco, quem também deseja pagar o preço de tomar medidas impopulares para desconstruir centenas de cartéis que ditam as regras do jogo nessa nação. Isso só conseguiremos se argumentarmos em um profundíssimo diálogo para chegarmos em um ponto em comum.

Deixe uma resposta