Atuação Política

Aramis Brito, carioca de 53 anos nascido na cidade de Itaguaí, traz no sangue a marca de um político forjado nas ruas, ouvindo e sentindo as dores das pessoas. Com uma atuação combativa e crítica, sempre buscou usar o diálogo como principal arma para conscientizar as pessoas sobre a real situação do município de Itaguaí, localizado na região da Costa Verde do estado do Rio de Janeiro, do estado do Rio de Janeiro e do país.

Bem antes de iniciar sua trajetória política, Aramis já se valia da palavra para fazer esse trabalho de conscientização das pessoas. Na coluna que mantinha em um jornal, a partir de 2005, não teve medo de apontar os erros de quem dirigia a cidade. Depois, usou o folheto “A Palavra do Pastor”, publicado todas as sextas-feiras, para chegar às casas das pessoas.

“Os alicerces da minha formação política aconteceram atuando na rua, conversando pessoalmente e diariamente com cada pessoa que cruzava, para saber quais são suas reivindicações, quais são suas dores, quais são suas expectativas e necessidades. Mais do que ouvir, é preciso, antes de tudo, perceber onde está a esperança de cada um, em cada situação. Isto vai de encontro com meu sentimento cristão que norteia a minha existência e atuação”, explica.

A estratégia de falar direto com as pessoas olho no olho deu resultados, criando uma legião seguidores do seu trabalho. Com o respeito da população da cidade, Aramis passou a ser visto como um político, e mais do que isso, um cidadão que, realmente, luta contra a corrupção, sobretudo, na cidade de Itaguaí.

Apesar das seguidas ameaças que recebeu e processos que teve que responder, sempre teve a coragem de apontar os erros da prefeitura, justo no momento em que Itaguaí recebia um volume grande de dinheiro e o prefeito da época contava com um alto índice de popularidade.

Aramis Brito via aí duas cidades: a externa, com destaque nas páginas dos jornais, e a interna, com a falta de estrutura em diversas áreas, como saúde, educação e segurança pública. O estado do Rio de Janeiro vivia uma fase de “ouro”, com o domínio do velho estruturalismo político, fruto da aliança de uma série de grandes partidos no estado.

Depois do forte trabalho de conscientização das pessoas e de apontar os erros gerados pela corrupção, era preciso dar mais um passo, partir para o combate direto por dentro para propor as mudanças necessárias para a cidade de Itaguaí e o estado do Rio de Janeiro.

O caminho natural, então, foi sua entrada na política partidária, em 2011, tendo um ano depois nas eleições para prefeito de Itaguaí 8.300 votos. Seis anos depois, após fazer campanha para deputado estadual, obter mais de 11 mil votos e ficar com a primeira suplência, Aramis assumiu uma cadeia parlamentar na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

Em 15 meses de mandato, entre outras coisas, teve quatro leis aprovadas e fez 11 projetos de lei, duas Propostas de Emendas Constitucionais (PEC) e 26 emendas parlamentares.